24 Abr 2014

   
Neurálgias do Nervo Glossofaríngeo
Prof. Dr. Nelson Colombini
 

O "tic douloureux" do glossofaríngeo é caracterizado par paroxismos de dores escruciantes na região das amígdalas , faringe posterior, dorso da língua e no ouvido médio. É bem mais rara que a nevralgia do trigêmeo, cerca de 20 vezes menos freqüente. Na maioria dos casos não existem alterações patológicas que justifiquem a nevralgia e assim a etiologia é desconhecida. Dores ocasionais na distribuição do glossofaríngeo podem estar relacionadas a lesões do nervo por tumores do pescoço.

O sexo masculino é comumente mais afetado. Os sintomas podem se desenvolver em qualquer idade, mas o início é mais freqüente na quarta e quinta década de vida. Trata-se de crises paroxísticas isoladas e breves e nos intervalos não existe um fundo doloroso contínuo; as dores aparecem às vezes em forma de ataques extremamente violentos , intensos e durando um ou vários segundos e desaparecendo tão subitamente quanto iniciou. As crises podem ser acompanhadas de secura da boca, mas raramente de salivação, de vasodilatação da hemiface ou de lacrimejamento. O ritmo das crises é extremamente variável, desde várias a cada hora, até duas ou três ao mês , ou inclusive menos . Os ataques geralmente são provocados . Os enfermos referem quase sempre a deglutição como causa desencadeante; a crise aparece quando o paciente fala, ri, tosse ou assoa o nariz; às vezes outros gestos como lavar a orelha, girar bruscamente a cabeça e passar da posição deitado para sentado. A reprodução da crise por estimulação da "trigger zone" ou zona gatilho é fundamental para se estabelecer o diagnóstico. Pode ser feita simplesmente pela descrição da dor; o único diagnóstico diferencial de alguma importância é o da nevralgia do ramo mandibular do nervo trigêmeo; o diagnóstico portanto fica estabelecido quando as dores são precipitadas pela estimulação das amígdalas e aliviadas pela anestesia das mesmas . \
Os paroxismos dolorosos ocorrem em intervalos irregulares e pode haver períodos longos de remissão; durante esta remissão a zona gatilho desaparece. As dores voltam cedo ou tarde a menos que sejam prevenidas par tratamento ou o nervo seja seccionado cirurgicamente.

Tratamento
Se a terapêutica médica não for eficaz, o nervo poderá ser seccionado em sua porção intracraniana. O resultado cirúrgico é satisfatório; não existem complicações sérias e o alívio é importante. A membrana mucosa suprida pelo nervo seccionado fica permanentemente anestesiada e o reflexo do vômito neste lado fica abolido. Há abolição do paladar no terço posterior da língua, e não ficam seqüelas graves como disfasia e disartria a não ser que o X par seja lesado na cirurgia.


Prof. Dr. Nelson E. P. Colombini
 
Copyright © 2001-2014
Textos com reprodução autorizada
desde que citada a fonte

Quem somos  |  Nosso Staff Médico  |  Pesquisa de Opinião  |  Monitoramento via Web
Editorial da semana  |  Conteúdo em destaque  |  Notícia em foco  |  Ponto de vista