28 Jul 2014

   
O Bebê Prematuro

Brasil Medicina.com

É s ó iniciar-se a gestação e já surge uma preocupação: será que o bebê vai nascer no tempo certo? Esse é definido como 9 meses , ou 40 semanas (10 meses lunares - cada mês lunar tem vinte e oito dias . Daí aquela história de o parto ocorrer quando muda a Lua!). se o bebê nascer antes da 37ª semana, será considerado um bebê pré-termo (antes chamado pré-maturo). Os que ultrapassarem 42 semanas serão considerados pós -termo. Nem todos os bebês prematuros são iguais . De acordo com o peso de nascimento, os médicos ainda os classificam em pequenos , grandes ou apropriados para a idade gestacional. Assim, um bebê ainda que prematuro poderá, contudo, ser grande para sua idade gestacional. Se o bebê nascer com menos de 2,5 kg, será considerado de baixo peso, independentemente do seu tempo de gestação. Os bebês com menos de 1,5kg, são considerados de muito baixo peso. Nem todo bebê de baixo peso é também prematuro.
Peso e idade de gestação definem as necessidades dos bebês e, portanto os riscos que podem haver para a sua saúde.
De modo geral, quanto mais tempo os bebês ficarem no útero ( dentro do período normal de gestação), mais chances terão de sobreviver. Quanto maior o peso de nascimento, menores serão suas necessidades (desde que, é claro, não atinjam o extremo oposto, ou seja, que sejam bebês grandes para a idade gestacional).
Mas até que ponto o bebê pode ser prematuro, ou, o que significa o mesmo, qual o limite da idade gestacional para que o bebê consiga sobreviver fora do útero? O assim chamado limite de viabilidade parece estar situado entre a 22ª e a 24ª semanas da idade gestacional.
O bebê prematuro, por vários motivos , é muito mais frágil em relação ao que nasceu no tempo certo (40 semanas ):
. O sistema imunológico é muito mais imaturo e, assim, ele tem poucas defesas contra as infecções .
. Muitos ainda não sugam e têm imaturidade do tubo digestivo, exigindo técnicas especiais de nutrição.
.Os vasos sanguíneos são muito frágeis , o que ocasiona a possibilidade de hemorragias , principalmente cerebrais .
. O pulmão é imaturo, não possuindo entre outros fatores , uma substância chamada "surfactante". Devido a isso, ao expirar o pulmão fica parecendo um balão de ar ao ser esvaziado: fica com suas paredes "coladas ". Assim para enchê-lo novamente, necessitar-se-á de uma grande força para "descolar" as paredes , ou seja, o pequeno prematuro terá de fazer muita força para poder respirar! No bebê que nasce de tempo certo, isso ocorre s ó na primeira respiração, pois a partir daí, o surfactante impede que as paredes se "colem". No bebê pré-termo, cada respiração é como se fosse a primeira, exigindo dele, como vimos , um grande esforço.
Os olhos também têm particularidades . Na retina, os vasos são imaturos e com facilidade podem ser lesados pelo oxigênio, que por sua vez, é necess ário para minimizar o esforço respiratório.
Os Pediatras , numa evolução muito rápida, nos últimos anos , criaram técnicas adequadas para o manejo desses pequenos bebês : técnicas especiais de nutrição, técnicas especiais de respiração (ventiladores computadorizados ), monitores especiais para controlar diversos órgãos (respiração, circulação, cérebro), incubadoras moderníssimas (com controles informatizados ), medicamentos de última geração (surfactantes , antibióticos ), etc. Todos esses recursos são fundamentais para substituir o que o útero materno faz naturalmente. Mas , se a mortalidade dos prematuros diminui devido a esse fantástico progresso, o mesmo não se pode dizer das seqüelas . Constata -se que muitos sobrevivem, mas tem seqüelas bastante graves , principalmente de natureza neurológica.
A DICA fundamental é: sempre que poss ível, a gestação deve ir até o termo (+- 40 semanas ); o parto deve também, sempre que poss ível, ser normal (parto vaginal), e ocorrer em Maternidades adequadamente equipadas , devendo a equipe de assistência ao parto contar com um Pediatra na sala de parto. Por isso não recomendamos que o bebê nas ça em locais que não contém com esses modernos e cientificamente comprovados recursos materiais !
Quando motivos médicos reais impedirem a continuidade da gestação, e, assim, sua ininterrupção for aconselhada, é fundamental que o parto ocorra em Maternidades que tenham berçários suficientemente equipados para bem atender um prematuro.

 
Copyright © 2001-2014
Textos com reprodução autorizada
desde que citada a fonte

Quem somos  |  Nosso Staff Médico  |  Pesquisa de Opinião  |  Monitoramento via Web
Editorial da semana  |  Conteúdo em destaque  |  Notícia em foco  |  Ponto de vista